1. Ekaterina Volkova

Professora de Língua e Literatura Russa da Universidade Federal Fluminense (2015). Graduação e mestrado em História, Literatura e Cultura Russa e Hispano-americana pela Universidade Estatal das Humanidades (Moscou, Rússia, 2001). Possui mestrado (2006) e doutorado (2012) em Literatura e Cultura Russa pela USP. Realizou estágio pós-doutoral (Bolsa CAPES) pela Universidade de São Paulo (2013). Integra grupos de pesquisa: Diálogo (USP) e Estudos Contemporâneos da Tradução (UFF). Tradutora e pesquisadora das obras de Iúri Lotman, Mikhail Bakhtin, Pável Medviédev, Valentin Volóchinov e Piotr Bogatyriov, entre outros. Organizou e traduziu, em parceria com Sheila Vieira de Camargo Grillo, os livros Marxismo e filosofia da linguagem de Valentin Volóchinov (Editora 34, 2017), Questões de estilística no ensino de língua de Mikhail Bakhtin (Editora 34, 2013) e O método formal nos estudos literários de Pável Medviédev (Contexto, 2012). Áreas de atuação: literatura e cultura russa; semiótica da cultura; tradução; Iúri Lotman; ensino de língua russa.

2. Simone Cristina Mendonça

"Simone Cristina Mendonça é professora de estudos literários na Unifesspa, em Marabá/PA, onde trabalha desde 2010. Concluiu sua graduação em 2002, na Unicamp, mesma instituição em que defendeu seu Doutorado, no ano de 2007. Desde então, tem pesquisado sobre a impressão, a circulação e a recepção da literatura no século XIX. A partir de 2015, quando realizou um Pós-Doutorado no Ibilce/Unesp, concentrou-se nos textos em prosa de ficção publicados em periódicos portugueses antes de 1850. Com auxílio de alguns alunos, vem desenvolvendo projetos com esses periódicos, sobre um dos quais falará no VI Ciella".

3. Fernando O. Carvalho

Professor de Linguística na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Doutor em Linguística pela UFRJ, já foi pesquisador visitante convidado no Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva (MPI, Leipzig, Alemanha) e no Laboratoire Dynamique du Langage (DDL, Lyon, França). Seu foco de pesquisa é a Linguística Histórica das línguas indígenas Sul-Americanas, em especial: reconstrução comparativa e interna, fonologia e morfologia diacrônicas, etimologia. Também tem interesse especial pelas contribuições da Linguística Histórica para a investigação interdisciplinar da (pré-)história das populações humanas.

4. Betina Ribeiro Rodrigues da Cunha

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal de Uberlândia, cursos de Especialização no Canadá e Antilhas, Maîtrise ès Lettres na Universidade de Nice (França), Mestrado e Doutorado em Letras, pela Universidade de São Paulo, e pós-doutoramento em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Universidade de São Paulo. Como professora da Universidade Federal de Uberlândia ocupou diferentes cargos administrativos e desempenhou funções docentes em diversas áreas afins, sobremaneira na área de Literaturas. Atualmente, como docente associado e efetivo da Universidade Federal de Uberlândia, desenvolve atividades, na graduação, na área de Lit. Francesa; na pos graduação, comparece como professor permanente do quadro do Programa de Estudos Literários orientando e participando de grupos de pesquisa, tendo respondido, inclusive,como Coordenadora do Mestrado em Teoria Literária. Atua também como avaliadora do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e como membro do corpo de supervisores de avaliação da SEED/MEC. Tem experiência na área de Letras, Educação, com ênfase em Literatura, Teoria da Literatura, Literatura Francesa e Brasileira, atuando - inclusive com diversas publicações - nos seguintes temas: narrativa, discurso literário, estudos culturais, literatura francesa e brasileira.Cabe ainda realçar as participações como líder do Grupo de pesquisa registrado no CNPq, "Narrativa moderna em questão" , como Membro, da Rede CO3 - Rede Centro-Oeste de Ensino e Pesquisa em Artes, Cultura, Tecnologias Contemporâneas e como membro do Comitê de Acordos de Cooperação (CAC) da UFU/DRII. Atualmente, é Vice-Presidente eleita para gestão 2018-2019 da Associação Brasileira de Literatura Comparada - ABRALIC.

Desenvolve atualmente pesquisas sobre arquivos, acervos, documento e memória, privilegiando a relação de Guimarães Rosa e Geraldo França de Lima, cujo acervo documental deste último apresenta inúmeros documentos inéditos que desvelam muito da amizade entre os dois mas também de elementos de crítica e escritura ficcional moderna.

5. Claudia Regina Brescancini

Doutora em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2002) e mestre em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996). Realizou estágio pós-doutoral (2010-2011) no Languague and Linguistic Department da University of York, Inglaterra. É professora adjunta do Programa de Pós-Graduação em Letras da Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atua na área de Sociolinguística Variacionista e Sociofonética. É membro do Projeto Varsul (Variação Linguística na Região Sul do Brasil) desde 2005. Coordenou o GT de Sociolinguística da ANPOLL de 2014 a 2018. Atualmente coordena o Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS.

6. Nilsa Brito Ribeiro

Doutora em Linguística (UNICAMP). Docente do Instituto de Linguística, Letras e Artes, da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, com atuação no Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Sociedade e no Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia. Lidera o Grupo de Pesquisa registrado no diretório do CNPq, intitulado:"Práticas discursivas: narrativas, saberes e resistência cultural". Atua nos seguintes temas de pesquisa: Discurso, Ensino, Poder, Resistência e Narrativas Identitárias.

7. Thomas Finbow

Thomas Finbow é Professor de Linguística no Departamento de Linguística da Universidade de São Paulo desde 2010. Formou-se em 2001 pela Universidade de Cambridge (Reino Unido) em Modern and Medieval Languages, com especialização em Espanhol e Alemão. A pós-graduação em Linguística (M.Phil, 2003, D.Phil, 2008) foi pela Universidade de Oxford (Reino Unido). Entre 2008 e 2010, realizou pós-doutorado no Departamento de Letras Neolatinas na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Atualmente, realiza pesquisa na área de Linguística Histórica Românica, com ênfase em Sociofilologia e Sociolinguística Histórica. Também investiga a Linguística Histórica das línguas indígenas, com ênfase na família tupi, especialmente, o arikém e a língua geral amazônica/nhe'engatu.

8. Marta Monteiro

Marta de Faria e Cunha é Doutora em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (PPGLg - 2014) na área de concentração em Linguística Aplicada; Mestre em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem – LAEL pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC (2009); Mestre em Letras pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (1999); Licenciada em Letras - Língua Inglesa (1993) e Bacharel em Administração de Empresas (1983) pela mesma instituição. Desde 1994 é docente do Curso de Letras – Língua e Literatura Inglesa da Univesidade Federal do Amazonas – UFAM e tem experiência no planejamento e coordenação de cursos e projetos da área de Letras e Linguística Aplicada, atuando principalmente, na área da formação de professores da educação básica, dos letramentos, discursos e identidades, de Inglês para Fins Específicos - IFE, da elaboração de material didático e da metodologia da pesquisa científica. Na UFAM já coordenou projetos, foi Chefe e Sub-chefe do extinto Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras - DLLE, Coordenadora Acadêmica do Curso de Letras - Língua Inglesa e dos Cursos de Especialização em Metodologia do Ensino de Língua Inglesa (T.1 e T.2), Coordenadora Geral dos Cursos de Pós-Graduação Lato-Sensu do ICHL, Coordenadora Administrativa do Programa Idiomas sem Fronteiras – IsF e Coordenadora Pedagógica do Núcleo de Línguas – NucLi do IsF na UFAM. Tem apresentado comunicações em eventos da área de Linguística Aplicada, formação de professores e ensino-aprendizagem de línguas para fins específicos, entre outros. É professora Adjunto IV da Faculdade de Letras da UFAM e membro da Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Letras (Mestrado) da UFAM (Portaria 0332/2018).

9. Pedro Mandagará

Pedro Mandagará é professor adjunto de Literatura Brasileira na Universidade de Brasília. É doutor em Letras pela PUCRS. Sua pesquisa atual lida com literaturas indígenas brasileiras, em interface com o campo de estudos da ecocrítica. Organizou, com Devair Fiorotti, o volume "Contemporaneidades ameríndias" da revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea (n. 53, 2018).

10. Sylvia Trusen

SYLVIA MARIA TRUSEN é Doutora em Letras pela PUC-Rio, com pós-doutoramento na UFRJ. Professora Associada da UFPA/Campus de Castanhal. E membro do ILER – Cátedra Unesco de Leitura-PUC/Rio. Atua na Graduação e no Mestrado. Suas pesquisas centram-se nos estudos da tradução e nas narrativas do insólito e do maravilhoso. Possui artigos publicados a respeito. Organizou o livro Tradução, cultura e memória, juntamente com Karin Volobuef e Tania Sarmento-Pantoja, bem como o Tradição e Tradução, com Isabela Leal e José Guilherme Fernandes. Participa do GT da ANPOLL "Vertentes do Insólito Ficcional" e do Grupo de Pesquisa "Vertentes do Fantástico na Literatura". Lidera o Grupo de Pesquisa "Alteridade, Literaturas do Insólito e Psicanálise." Atualmente faz também formação psicanalítica pela Escola do Corpo Freudiano.